ptenfres


Programa de Pós-Graduação em Neurologia da UNIRIO

 

  1.   HISTÓRICO DO PROGRAMA

O Programa de Pós-graduação em Neurologia (PPGNEURO) do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) iniciou em 2004 após aprovação em dezembro de 2003 do curso de Mestrado Acadêmico com nota 3. No triênio 2004-2006 o curso de Mestrado foi avaliado com nota 4, e obtivemos a recomendação da CAPES para o Curso de Doutorado, iniciando a primeira turma em 2008.

O PPGNEURO/UNIRIO cumpriu metas em 2013, 2014, 2015 e 2016 que o capacita para  enfrentar com sucesso o desafio para produzir conhecimento científico no contexto do século XXI em níveis nacional e internacional. Em uma marcante mudança na proporção de dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado, no ano de 2016 obtivemos o índice 1,12 (de 18/16) para esse importante quesito que define programas de pós graduação com pontuação 5, com curva ascendente de defesas de doutorado se sobrepondo as de mestrado.

Este quadriênio foi marcado pela expressiva ampliação da produção cientifica, pela inclusão de novos docentes, pela expansão de parcerias, por conquistas de verbas nos editais CAPES, FINEP, FAPERJ, CNPq, e por intensa atividade acadêmica. A manutenção das linhas de pesquisa originais: neuroepidemiologia, neuroinfecção e experimental (esta última com destaque para neurociência translacional) foi uma decisão do Colegiado e da Pró Reitoria contando com a consolidação de projetos robustos vinculados às mesmas e que no próximo quadriênio serão aplicados como novas linhas. Apesar da manutenção das três linhas de pesquisa, foram tomadas importantes decisões dentro da Universidade que impactaram esse quadriênio, porque acataram as recomendações da Coordenação de Aperfeiçoamento Profissional de Nível Superior (CAPES).

Teremos como objetivo nesta contextualização  mostrar a evolução do PPGNEURO/UNIRIO, as mudanças já instituídas e aquelas em fase de implementação, e confrontar os três triênios de avaliação, com o quadriênio 2013-2016, mostrando o alcance de metas e conquista de resultados concretos.

É importante salientar que o PPGNEURO/UNIRIO impactou o cenário da neurologia e da neurociências no Estado do Rio de Janeiro e no Brasil, contribuindo diretamente no aumento da inserção internacional das pesquisas aqui realizadas. Como exemplo do impacto internacional do PPGNEURO/UNIRIO, entre 2012 e 2013 dois artigos de Docentes e Discentes do nosso programa foram capa de periódicos de fator de impacto 6,723 (Radiology. 2012 Apr;263(1):235-42. doi: 10.1148/radiol.12111241.) e de fator de impacto 4,8 (Mult Scler. 2014 Mar;20(3):374-81. doi: 10.1177/1352458513495580). Ainda em 2014 a produção se manteve crescente e novos artigos foram escolhidos para destaque, como o do nosso estudo translacional em Epilepsias que foi capa do periódico GLIA (Impacto 6,3, Glia. 2014 Dec; 62 (12): 1917-1931. doi: 10.1002 / glia.22713. Epub 2014 10 de julho) em dezembro de 2014. Em 2015 destaques para artigos de pesquisa em Neurociências incluiu publicação na PlosOne sobre “Central Nervous System Idiopathic Inflammatory Demyelinating Disorders in South Americans: A Descriptive, Multicenter, Cross-Sectional Study” de Papais-Alvarenga RM et al., PLoS One. 2015 Jul 29;10(7):e0127757. doi: 10.1371/journal.pone.0127757, 2015. Em 2016 destacam-se os artigos que investigaram os aspectos imunológicos do exercício físico em pacientes com Esclerose Múltipla (Journal of Neuroimmunology, 2016, Combined exercise training reduces fatigue and modulates the cytokine profile of T-cells from multiple sclerosis patients in response to neuromediators, de Alvarenga-Filho et al.), outro que investigou a correlação entre Neuroimagem e citocinas por meio de “Interleukin-17- and interleukin-22-secreting myelin-specific CD4 + T cells resistant to corticoids are related with active brain lesions in multiple sclerosis patients. Immunology (Oxford. Print), v. 147, p. 212-220, 2016 de Wing et al., e os estudos de esportômica de HAKIMI, O. e  Cameron, L.-C. . Effect of exercise on ovulation: a systematic review. Sports Medicine (Auckland) v. 1, p. 1, 2016.

Outra importante meta alcançada foi a produção docente distribuída ao longo dos diferentes estratos do Qualis periódicos. Em 2013 quinze artigos foram publicados em periódicos A1, A2 e B1 (12 em A1). Em 2014 tivemos 66 artigos publicados, sete publicações em revista A1, três publicações em revista A2, quatro publicações em revista B1 e seis em B2. Em 2015 tivemos 56 artigos publicados, 23 artigos publicados em revistas A1, A2 e B1 (41,07% das publicações), 15 artigos em B2 (26,78%) iniciando uma curva descendente para revistas de menor impacto como se espera de um programa que vem se consolidando ao longo dos anos. Em 2016 o PPGNEURO publicou 65 artigos, 17 artigos A1, A2 (26,1%), e se considerarmos A1, A2 e B1, 45% dos artigos foram publicados em periódicos de alto impacto. A proporcionalidade dessa produção, com mais de 360 pontos  neste quadriênio, necessários para que um programa de pós graduação na CAPES pontue  na nota 5,  foi atingida por 70 % dos docentes permanentes.

O PPGNEURO/UNIRIO aumentou a eficiência na formação de mestres e doutores bolsistas, aumentou a eficiência no intervalo de tempo de formação desses mestres e doutores, e mostra eficiência no percentual de bolsistas titulados. Essa eficiência foi ampliada em 2013, 2014, 2015 e 2016. O PPGNEURO/UNIRIO ainda se mantém como o único curso de pós-graduação em Medicina II stricto sensu Acadêmico da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro conta com treze escolas médicas e com o maior complexo hospitalar público brasileiro. O grande número de cursos de medicina, biomedicina e de áreas afins formam, igualmente, um conjunto significativo de profissionais da área de saúde. A disciplina de Neurologia, muitas vezes dividida em Neurofisiologia e Neuroanatomia, está incluída na grade curricular desses cursos, o que provoca importante demanda de profissionais interessados em Neurologia e Neurociências. No PPGNEURO/UNIRIO identificamos egressos de diferentes cursos que desde a graduação, por meio de monitoria, por meio da participação em programas de iniciação científica (PINC), ou de ligas de neurociências, atuam nestas áreas motivados por escolhas pessoais e/ou motivados por seus professores. O PPGNEURO/UNIRIO cumpriu outro papel que foi abrir as portas da pós-graduação na Medicina da UNIRIO incentivando e contribuindo com a formação de outros cursos de mestrado, contando esta atualmente com Mestrados Profissionais em Medicina. Tendo como meta o incentivo e aumento dos cursos de pós-graduação stricto sensu na UNIRIO, e o cumprimento do Plano Nacional de Pós-Graduação 2011-2020, os Mestrados Profissionais vêm sendo incentivados pela Pró-Reitora da Pós-graduação e expressam hoje a mudança de cenário alcançada pela Medicina nestes últimos anos. O PPGNEURO/UNIRIO está presente em dois desses cursos por meio de seus docentes permanentes e por meio de parcerias visando o crescimento científico e a inserção da UNIRIO entre as faculdades de medicina brasileiras com programas de pós-graduação stricto sensu. A importante demanda de alunos que buscam no PPGNEURO/UNIRIO orientação por determinadas linhas de pesquisa aumentou ainda mais neste quadriênio.  A distribuição destas orientações tem sido cada vez mais equilibrada mas ainda temos dois docentes com número além dos 9 de limite. Isso pode ser atribuído ao fato de que esses docentes possuem linhas de pesquisa consolidadas, com acordos internacionais de cooperação cientifica já estabelecidos com programas de Pós-graduação de Universidades Nacionais e internacionais que atraem profissionais egressos de diferentes instituições e de outros Estados. Contudo, neste quadriênio corrigimos essa proporção. Temos 15 docentes permanentes e seis colaboradores, o percentual de docentes permanentes é de 71,4%.

  1. QUESITOS DA CAPES PARA AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE PÓS GRADUAÇÃO E O CENÁRIO ATUAL DO PPGNEURO/UNIRIO

A importância dos quesitos determinados pela CAPES para a pontuação dos programas de pós graduação contribuem na apresentação do PPGNEURO. Passaremos assim a explorar esses quesitos aplicando os critérios e percentuais de acordo com o aplicado em 2013, 2014, 2015, 2016 até dezembro de 2016.

Vamos explorar cada ítem que origina a distribuição dos conceitos para os Docentes Permanentes (DP) e Discentes que continuam sendo as referencias básicas dos programas. As especificidades destes percentuais do PPGNEURO/UNIRIO serão mostradas de forma qualitativa e quantitativa.

  1. Quesito. Corpo Docente

2.1. Todos os 15 DP do Programa têm formação adequada e experiência para o desenvolvimento do Programa, com projeção nacional e internacional, e 70% dos DP cumpriram a meta de 360 pontos em publicações neste quadriênio.

Na área da Medicina II outros aspectos considerados úteis e que devem ser contemplados no Coleta para preenchimento obrigatório foram informações sobre bolsa de produtividade em pesquisa, participação em comissões editoriais, assessoria em agências de fomentos e captação de recursos para pesquisa, estes com descrição pormenorizada sobre o projeto, a equipe executora, a fonte financiadora, o ano de execução e a duração.

Neste quesito, o PPGNEURO/UNIRIO conta com 3 DP pesquisadores de produtividade CNPq, e conquistou fomentos em diferentes projetos. O financiamento individual foi ampliado por mais de 70% dos professores junto à FAPERJ, Pró-Equipamentos, e bolsa CNPq, consequência direta da produção científica do grupo e do apoio da Pró-Reitoria da Pós Graduação. Ao final de 2016 conquistamos um Edital muito competitivo, a Chamada MCTIC/FNDCT -CNPq / MEC-CAPES/ MS-Decit Nº 14/2016 para prevenção e combate ao vírus ZIKA e doenças equivalentes. Com este edital, ganhamos quatro bolsas de Pós-Doutorado CAPES e duas de Mestrado, além de duas de iniciação científica. Contando com as Bolsas PNPD o PPGNEURO tem no momento 6 alunos de Pós Doutorado com bolsa.

A Professora Cleonice Bento é pesquisadora CNPq e conquistou quatro fomentos a saber: Edital UNIRIO de apoio à pesquisa, Edital Universal/CNPq, Edital Sediadas/FAPERJ, Edital Jovem Cientista do Nosso Estado/FAPERJ. A Professora Soniza Alves Leon é pesquisadora CNPq e conquistou o Edital FAPERJ de apoio aos Hospitais Universitários e CNPq Pró equipamentos, e a Chamada MCTIC/FNDCT -CNPq / MEC-CAPES/ MS-Decit Nº 14/2016 para prevenção e combate ao vírus ZIKA e doenças equivalentes. A Professora Regina Papais Alvarenga recebe desde 2011 bolsa CAPES para apoio a projeto de pesquisa individual com dois bolsistas de pós-doutorado/CAPES, com custeio renovado a cada ano. A Profa. Maria Helena Mello conquistou Edital FAPERJ de apoio para Hospital Universitário. Outro recurso considerável agregado ao PPGNEURO/UNIRIO em 2013 foi a aquisição pela UNIRIO, dentro do Programa de Inovação Tecnológica, do Laboratório de Espectometria de Massa do Prof Cameron que em 2014 começa a dar as primeiras publicações. Outra conquista em 2014 foi a ampliação do Laboratório Avançado de Neurofisiologia Clínica (LANC) dentro do HUGG/UNIRIO que constará com duas Unidades de Vídeo-Eletrencefalografia para monitorização de pacientes com Epilepsias Fármaco-Resistentes, e incremento da Unidade de Eletroneuromiografia e de Potenciais Evocados Visuais, permitindo maior número de investigação e pesquisa de doenças do sistema nervoso periférico complementando a investigação do déficit visual em duas doenças com forte impacto na produção científica do PPGNEURO/UNIRIO, as Epilepsias Fármaco-Resistentes, a Esclerose Múltipla e a Neuromielite Óptica, todas conquistadas com verbas de agências de Fomento. Com estes editais,  adquirimos um sequenciador para investigação de polimorfismos (SNPs) e estudos de screening genômico em doenças neurológicas. Esperamos contribuir no avanço do conhecimento e o objetivo destes projetos é contribuir para o diagnóstico clínico e fisiopatológico, investigando os fenótipos neurológicos, imunológicos e perfil de susceptibilidade genética associados a manifestações do sistema nervoso. Na linha de neuroinfecção a patogênese das infecções virais agudas e crônicas, e o desenvolvimento de doenças autoimunes que podem ter gatilho viral e estão ligadas a distúrbios no compartimento das células T, vêm sendo investigadas por análise fenotípica e funcional das células T de pacientes infectados pelo HIV, ZIKV, CHIKV e doenças correlatas. As manifestações neurológicas e os fenótipos imunológicos estão sendo correlacionados com o perfil de susceptibilidade genética de polimorfismos HLA e não-HLA.

Na linha de neuroepidemiologia, a investigação epidemiológica e genética da doença de Huntington, coordenada pela Profa. Carmen Lucia Antão Paiva, foi contemplada com dois auxílios da FAPERJ na modalidade APq1 em 2013 e 2015.

No quesito 2.2. cumprimos as exigências de que todos os DP têm formação adequada e experiência para o desenvolvimento do Programa. Temos 15 docentes permanentes e seis colaboradores, o percentual de docentes permanentes é de 71,4 %.

2.3. Evoluímos para uma distribuição mais equilibrada entre os Docentes no que se refere a pesquisa, formação e participação em Disciplinas e orientações. O desempenho e a distribuição dos DP do PPGNEURO/UNIRIO mensurada pelas orientações de Mestrado e Doutorado em 2016 revelou que destes 15 DP, 86,6% orientam no mínimo 2 e no máximo 6 alunos. Os docentes que orientaram acima do desejável preenchem perfil para participarem de programas nota 6 e têm capacidade de concluir e publicarem com esse número de alunos. 

2.4. A porcentagem de Docentes envolvidos com a graduação e com a Iniciação científica cresceu significativamente, como pode ser conferido pelos números de alunos de iniciação científica (ICs) e PibiCs ao longo desses anos.

  1. Quesito. Corpo Discente, Teses e Dissertações

Esse quesito 3 tem como maior percentual o valor de 50%, conceito este associado a produção Discente junto com os DP que deve ser maior ou igual a 50%. O PPGNEURO alcançou mais de 42% da produção dos Discentes junto com DP.

Como continuam sendo particularmente valorizadas as atividades desempenhadas pelos DP, sobretudo as orientações de mestrandos e doutorandos precisamos explorar os quesitos seguintes de forma detalhada:

Em 2016 foram concluídas 6 teses de Doutorado e 16 dissertações de Mestrado o que dá uma relação de 1,12, menor do que 3 como recomendado. No quesito 3.2, em 2016, 82% das teses e dissertações foram orientadas por DP e no quesito 3.3, obtivemos um total de 65 artigos publicados e houve a participação de Discentes 42% desses artigos. Vale ressaltar que o percentual exigido até o ano anterior era de 35%, e somente em dezembro de 2016, quando saíram as novas normas, esse percentual passou a ser 50%.

  1. Quesito. Produção Intelectual       

No quesito 4.1, que vale 50% do total deste quesito, o PPGNEURO/UNIRIO mostrou nos 65 artigos publicados em 2016 temos A1 - 4 artigos , A2 - 13 artigos, B1 - 12 artigos, B2 - 11 artigos , B3 - 13 artigos, B4 - 1 artigos e B5 - 3 artigos. O PPGNEURO/UNIRIO apresenta curva descendente para artigos de menor impacto, pois 45% foram A1, A2 ou B1.

No quesito 4.2.  A distribuição de publicações qualificadas em relação ao corpo DP do Programa foi de mais de 70% dos DP, um número que vem progressivamente melhorando e que em 2016 alcança a pontuação para um programa nota 5. Pontuamos nos artigos durante o ano de 2013, 2320 pontos que divididos pelos 13 Docentes deste ano dá 178 pontos. Em 2014 essa divisão pelo total de Docentes foi 168 pontos. Quando somamos a produção de 2013 e 2014 o valor é 346 pontos. Em 2015 pontuamos 2255 divididos por 17 Docentes dando 132,6 pontos, que somados as médias anteriores anuais, perfaz um total de 478,6 pontos. Em 2016 pontuamos 2885 divididos por 15 Docentes dando 192,3 pontos, que somados as médias anteriores anuais, perfaz um total de 670,5 pontos no quadriênio.

Com esses resultados, o PPGNEURO conquistou nesses quatro anos pontuação para Programa Nota 5 porque além de obter mais do que 360 pontos exigidos, 70% dos docentes permanentes publicaram alcançando 90 pontos ou mais por ano, e 360 pontos no quadriênio.

No quesito 4.3 as produções técnicas incluíram a participação em artigos científicos sobre manejo de tratamento e protocolos de pesquisa fase III, entrevistas em revistas, jornais e programas de TV.  A participação em Congressos Internacionais levou à conquista de prêmios por melhores trabalhos e bolsas para parcerias internacionais com Discentes do PPGNEURO/UNIRIO. Outra participação e produção importante são as  parcerias com o Comitê Olímpico Internacional (COI) durante as Olimpíadas em 2016 no Rio de Janeiro, permitindo o avanço nos estudos de esportômica.

  1. Quesito - Inserção Social

O PPGNEURO/UNIRIO continua impactando cada vez mais o cenário da neurologia e da neurociências no Estado do Rio de Janeiro e no Brasil, contribuindo diretamente no aumento da inserção internacional das pesquisas aqui realizadas. O PPGNEURO/UNIRIO ainda se mantém como o único curso de pós-graduação em Medicina II stricto sensu Acadêmico da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Vale recordar que o Estado do Rio de Janeiro conta com treze escolas médicas e com o maior complexo hospitalar público brasileiro. O grande número de cursos de medicina, biomedicina e de áreas afins formam, igualmente,  um conjunto significativo de profissionais da área de saúde. A disciplina de Neurologia, muitas vezes dividida em Neurofisiologia e Neuroanatomia, está incluída na grade curricular desses cursos, o que provoca importante demanda de profissionais interessados em Neurologia e Neurociências. No PPGNEURO/UNIRIO identificamos egressos de diferentes cursos que desde a graduação, por meio de monitoria, por meio da participação em programas de iniciação científica (PINC), ou de ligas de neurociências, atuam nestas áreas motivados por escolhas pessoais e/ou motivados por seus professores. O PPGNEURO/UNIRIO continua abrindo as portas da pós-graduação na Medicina da UNIRIO incentivando e contribuindo com a formação de outros cursos de Mestrado, contando esta atualmente com 3 Mestrados Profissionalizantes. Vale ressaltar que o primeiro Mestrado Profissionalizante da UNIRIO em “Cirurgia” contou na sua organização Acadêmica com 6 Docentes Permanentes do PPGNEURO/UNIRIO. Tendo como meta o incentivo e aumento dos cursos de pós-graduação stricto sensu na UNIRIO, os Mestrados Profissionalizantes vêm sendo incentivados pela Pró-Reitora da Pós-graduação e expressam hoje a mudança de cenário alcançada pela Medicina nestes últimos anos. O PPGNEURO/UNIRIO está presente em dois desses cursos por meio de seus Docentes Permanentes e por meio de parcerias visando o crescimento científico e a inserção da UNIRIO entre as Faculdades de Medicina Brasileiras com Programas de Pós-Graduação stricto sensu.

V.1. Participação nas Ligas Acadêmicas de Neurociências que promove encontros com as populações de estudantes de diferentes áreas e escolas.

V.2. Participação  e promoção de eventos anuais junto à Associação de Pacientes com Esclerose Múltipla e outras Doenças Desmielinizantes do SNC, com ativa inserção junto à comunidade no Dia Internacional da Esclerose Múltipla por meio de aulas, panfletos e distribuição de informação à população e às comunidades. Participação junto ao Comitê Olímpico Internacional por meio de estudos em Proteômica e Metabolômica. Participação na Aliança Cavernoma por meio de pesquisa e assistência de Docentes Permanentes e Discentes com aconselhamento genético de famílias.

V3: Participação e promoção de eventos anuais junto aos pacientes com síndrome de Down e seus familiares, com ativa inserção junto à comunidade no Dia Internacional da síndrome de Down (21 de março) por meio de aulas, panfletos,  distribuição de informação à população e às comunidades e presença na passeata Caminhadown.

III. INSERÇÃO INTERNACIONAL DO PPGNEURO/UNIRIO

Desde 1995 o grupo de pesquisa em Neurociências, mantém intercâmbio interinstitucional (UNIRIO/ Hospital Universitário Regional Carlos Haya, Malaga, Espanha) desenvolvendo estudos em colaboração com o Prof. Oscar Férnandez y Fernandez, para onde foram enviados discentes do PPGNEURO/UNIRIO como a Dra. Cláudia Vasconcelos (primeira doutora da UNIRIO e atualmente docente permanente da disciplina de Neurologia da UNIRIO) e o Dr. Marcos Papais Alvarenga (doutorando que durante dois anos desenvolveu pesquisa imunogenética, que foi tema de sua tese). Outra parceria internacional foi estabelecida com o Hospital Universitário Val D’Ebron em Barcelona, com o Prof. Xavier Montalban, Espanha, onde o doutorando Gutemberg Augusto Cruz dos Santos (2011) e a mestranda Ana Cristina Wing Marques dos Santos (2012) estiveram na Unidade de Neuroimunologia. Colaborações em 2013 no Royal Kings College em Londres. e intercâmbio com a Universidade de Colônia, Alemanha, junto ao Departamento de Neurologia do Prof. Volker Limmroth visando estudos colaborativos em esclerose múltipla com anticorpos monoclonais vêm sendo conduzidos desde 2015. Outra parceria importante é com o Hospital Saint’Anne da Universidade de Paris V desde 2004, participando de importante intercâmbio com o Programa de Epilepsias junto com as Prof. Elisabeth Landré e Prof. Francine Chassoux. Outras colaborações com grupos estrangeiros inclui o desenvolvimento de projetos conjuntos na área de Imunologia Clínica, tais como os franceses David Klatzmann, do Hospital Pitié Salpetrière em Paris, e Romain Marignier, no do Serviço de Neurologia da Universidade de Lyon. Mais recentemente, uma parceira foi firmada com o pesquisador Sudhir Gupta da Universidade da Califórnia/EUA, onde docente do PPGNEURO esteve de setembro a dezembro de 2014, como pesquisadora visitante. Outra parceria é com a Universidade de Stanford, onde teve o mestrando Felipe de Oliveira Figueiredo como observership do Labotaório de Sono sob a supervisão do Dr. Robson Capasso. Os produtos dessas parcerias internacionais podem ser conferidos na produção científica dos Discentes e Docentes do PPGNEURO/UNIRIO.

O número de DP representa mais de 70% dos docentes do Programa. Esse cenário foi modificado para melhor após o concurso para a Disciplina de Neurologia que aprovou mais uma neurologistas na categoria de Professor Adjunto 40 h com Dedicação Exclusiva, Prof. Glenda Lacerda, e tem professora aprovada Profa. Denise Nicaretta. O número de DP também aumentou de forma mista, pois o PPGNEURO/UNIRIO recebeu egressos do próprio programa, cumprindo uma impactante meta de capacitação de mestres e pesquisadores, e outros pesquisadores oriundos de diferentes centros de formação de pessoal. Com a atual diretriz da CAPES para o ingresso de DP, o PPGNEURO/UNIRIO agregou novos professores em 2015 com produção científica significativa e que já trabalham com o nosso grupo mas que não podiam pertencer a mais de uma Instituição de Ensino Superior (IES) como DP. Neste novo cenário, o Prof. Luiz Claudio Santos Thuler, DP, que havia passado para colaborador ao assumir vínculo empregatício no Instituto Nacional do Câncer (INCA), poderá ser mantido na grade do PPGNEURO/UNIRIO, assim como o DP. O Prof. Jorge Paes Barreto Marcondes de Souza da UFRJ que desde 2015 passou a DP com orientações e publicações em conjunto com Discentes do PPGNEURO/UNIRIO. Em 2016 novos docentes passaram a integrar o corpo permanente compartilhando orientações e parcerias interinstitucionais para ampliar a pesquisa básico-clínica e a pesquisa translacional.

  1. PARTICIPAÇÃO DE DOCENTES PERMANENTES COMO REVISORES DE PERIÓDICOS E COMO MEMBROS DE COMITÊS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

A Inserção dos Docentes Permanentes do PPGNEURO/UNIRIO na tomada de decisão como membros de comitês e revisores de periódicos pode ser constatada em seguida: PROF. CLEONICE BENTO: Revisor das seguintes revistas: International Immunopharmacology Clinical Immunology (Orlando) Immunology (Oxford) The Brazilian Journal of Microbiology The Journal of Immunology (1950) European Journal of Immunology Journal of Clinical Immunology PROF. SONIZA ALVES LEON Clinical Neurology and Neurosurgery, Tissue Antigens, Plos One, Seizure European Journal, Arquivos de Neuropsiquiatria, African Journal of Neurology Ad-HOc CAPES Ad-HOC CNPq Ad-HOC FAPERJ Membro de Advisory Board sobre Doenças Desmielinizantes pela Novartis. Membro de Advisory Board sobre Doenças Desmielinizantes pela Biogen Idec. Membro de Advisory Board sobre Doenças Desmielinizantes pela Genzyme. PROF. REGINA PAPAIS ALVARENGA Neuro epidemiology Multiple Sclerosis Neurology Journal of the neurological sciences PROF. CARLOS EDUARDO BRANDÃO DE MELO: BMJcase European Gastroenterology & Hepatology Revista PanAmazônica de Saúde PROF. MARIA EMÍLIA SANTOS RIBEIRO COSENZA: Membro de Corpo Editorial: International Journal of Neurology Research Participação em estudo Multicêntrico na América Latina: Central Nervous System Idiopathic Inflammatory Demyelinating Disorders in South America: a descriptive, multicenter, cross-sectional study PROF. MARCUS ANDRE ACIOLY DE SOUZA: Clinical Neurology and NeurosurgeryPeriódico: Arquivos de Neuro-PsiquiatriaPeriódico: Spine (Philadelphia, Pa. 1976); Neuroradiology (Berlin. Print); Neurological Research (New York); Journal of Neurosurgical Anesthesiology PROF. ADRIANA BASSINI: REVISTA FAEMA PROF. JOELMA FREIRE DE MESQUITA: OXID MED CELL LONGEV; Plos One Journal of Biomolecular Structure & Dynamics Journal of Medical Genetics (Print); PROF. JORGE PAES BARRETO MARCONDES DE SOUZA revisor dos periódicos de alto impacto e Editor. A profa CARMEN LUCIA ANTÃO PAIVA é revisora dos periódicos  Clinical Case Reports e Clinical Genetics.

Parcerias com Laboratórios Internacionais do PPGNEURO: Laboratório de Imunoterapia do Hospital Pitié Salpêtrière/Paris, Professor Dr. David Klatzmann (em andamento): estudos sobre subpopulações de células T envolvidas em autoimunidades. Departamento de Neurociências da Faculdade de Medicina de Lyon. Professor Dr. Romain Marignier (em . andamento):Análise do perfil imune humoral em pacientes com neuromielite óptica (NMO). . USA: Departamento de Imunologia Clínica da Universidade da Califórnia/Irvine. Professor Dr. Sudhir Gupta (em andamento): Papel dos agonistas dos receptores do tipo Toll (TLRs) em induzir resistências das células T aos glicocorticoides Nome do colaborador: David Klatzmann Instituição do colaborador: Hospital Pitié Salpêtrière/Paris Financiamento conjuntol: CNPq (modalidade bolsa pós-doutorado) Nome do colaborador: Romain Marignier Instituição do colaborador: Faculdade de Medicina de Lyon Financiamento edital: CAPES (modalidade bolsa doutorado sanduiche e edital FAERJ/Apoio às Instituição de Ensino e Pesquisa Sediado no Estado do Rio de Janeiro) Nome do colaborador: Sudhir Gupta Instituição do colaborador: Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia Financiamento conjunto internacional)/edital: Programa CAPES/Fulbright (edital: Professor e Pesquisador/Pesquisador Visitante nos Estados Unidos da América Estudos genéticos em pacientes com Doenças Desmielinizantes e Narcolepsia. . Espanha - Nome do Colaborador: Oscar Fernandez y Fernandez Instituição: Hospital Universitário Carlos haya Financiamento: UNIRIO/ FAPERJ/ CNPq. Centre for Molecular Medicine and Therapeutics, Laboratório Hayden (Hayden’s Lab), University of British Columbia, Canadá, para o desenvolvimento de projeto de investigação de haplótipos na doença de Huntington e identificação de  haplogrupos em amostra brasileira. Colaboração com o Dr. Michel Hayden e Dr. Chris Kay para o programa de pós-doutoramento da dra. Luciana Agostinho (egressa do PPGNEURO) com bolsa do CNPq, Programa Ciência sem Fronteiras.

  1. LABORATÓRIOS DO PPGNEURO/UNIRIO

No contexto histórico, o Serviço de Neurologia da Escola de Medicina e Cirurgia da UNIRIO já desenvolvia linhas de pesquisa consolidadas quando propôs o PPGNEURO em 2003. O desafio ao longo desses três triênios e ao longo dos anos de 2013, 2014, 2015 e 2016 foi aumentar a implementação de Laboratórios de ponta na própria UNIRIO sem se distanciar das parcerias nacionais e internacionais que deram origem aos estudos translacionais e básico-clínicos que caracterizam o perfil de produção científica da maioria dos docentes permanentes do PPGNEURO/UNIRIO vinculados a neurologia e neurociências. Em 2013 foi ampliado o Laboratório de Imunofisiologia e Imunopatologia dos Linfócitos T (LIILIT) com a Profa. Cleonice Bento do Instituto Biomédico da UNRIO, os Laboratórios de Biologia Molecular e Citogenética Molecular coordenados respectivamente pelas professoras Carmen Lucia Antão Paiva e Suely Rodrigues dos Santos, e implantado o Núcleo de Espectrometria de Massas do Laboratório de Bioquímica de Proteínas (IMasS LBP) do Prof. L.C.Cameron todos da própria UNIRIO e o Laboratório Avançado de Neurofisiologia Clínica com as Profas. Soniza Alves Leon e Glenda Lacerda no Hospital Universitário Gaffreé Guinle. O PPGNEURO/UNIRIO apresentou crescimento significativo dos seus recursos para pesquisa em estudos básico-clínicos e em estudos translacionais. Contamos ainda para o PPGNEURO no HUGG sequenciador genético automático API PRISM 3500xL (Applied Byosystems, USA) com o método Sanger para sequenciamento de genes inteiros, análise de metilação, identificação bacteriana, análise de microssatélites, transcriptoma, análise de SNPs, AFLP e LOH, com resultados analisados no Programa SeqScape@software v2.7.  Contamos ainda com o aparelho LEICA BOND-MAX que realiza estudos imunohistoquímicos em amostras de tecidos do sistema nervoso. O citômetro de fluxo de quatro cores também vem contribuindo na implementação de identificação e pesquisa de doenças neurológicas mediadas por anticorpos de proteínas sinápticas e de proteínas de superfície celular.

O Reitor da UNIRIO, em conformidade com os Pró-Reitores e Coordenador da Pós Graduação, e o Diretor do HUGG destinaram o quarto andar do Hospital Universitário Gafrée Guinle, uma área de 600 m2, para a implantação do CENTRO DE NEUROCIÊNCIAS DO PPGNEURO. Esse é um projeto ambicioso e necessário, que está na fase de planta executiva, e que incluirá em um único espaço os Laboratórios para análise molecular, investigação neurofisiológica, neuropsicológica, bioinformática, laboratório de sono, ambulatórios com possibilidade de registro das doenças neurológicas em programas informatizados para os pacientes, sala de coleta de líquido céfalorraquidiano, sala de infusão de medicamentos que requerem avaliação de matrizes biológicas antes e após esta, tudo dentro de um setor que deverá ser inserido como um dos mais completos no Brasil.

O Reitor da UNIRIO, em conformidade com os Pró-Reitores e Coordenador da Pós Graduação, e o Diretor do HUGG destinaram o quarto andar do Hospital Universitário Gafrée Guinle, uma área de 600 m2, para a implantação do CENTRO DE NEUROCIÊNCIAS DO PPGNEURO. Esse é um projeto ambicioso e necessário, que está na fase de planta executiva, e que incluirá em um único espaço os Laboratórios para análise molecular, investigação neurofisiológica, neuropsicológica, bioinformática, laboratório de sono, ambulatórios com possibilidade de registro das doenças neurológicas em programas informatizados para os pacientes, sala de coleta de líquido céfalorraquidiano, sala de infusão de medicamentos que requerem avaliação de matrizes biológicas antes e após esta, tudo dentro de um setor que deverá ser inserido como um dos mais completos no Brasil. O apoio institucional visa corrigir um aspecto importante do PPGNEURO que foi a viabilização e implantação de laboratórios para neurociência translacional e ampliação da parceria básico-clínica, levando a um salto de qualidade que alavancará ainda mais a produção científica e a formação de recursos humanos deste Programa.

UNIRIO

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Av. Pasteur, 296 - Urca - Cep 22290-240

PPGNEURO

Endereço: Rua Mariz e Barros, 775 - Tijuca, Rio de Janeiro/RJ

CEP: 20270-004

Localização: 2° andar, próximo ao Anfiteatro Geral

Telefone/Fax.: (21) 2264-2123

E-mail: ppgneuro@unirio.br 

Horário de Funcionamento: Segunda à Sexta de 9:00 às 17:00 horas